Curitiba, a instável

por Cristina Bresser


Postado em 09 de Junho de 2018 às 09:21



¬. Disseram pro carioca que em Curitiba fazia frio. Ah, é por isso que ele veio suando do hotel até aqui, coitado. Vai passar a tarde derretendo naquela sala e na hora que for embora, o que era suor vai congelar contra a pele dele.

¬ Li no jornal que até de tarde vai cair uns doze graus, no mínimo. Amanhã vai estar mais rouco ainda, quero ver ele dar aula.

¬ Que nada, amanhã ele compra um gorro na Rui Barbosa e veste a camiseta branca de baixo, por cima da azul que tá usando hoje. Assim vai parecer que trouxe mais roupa e não morre congelado. Carioca nunca se aperta!

Escutei essa conversa entre o segundo e o terceiro andares, enquanto subia as escadas da biblioteca. Quando cheguei na sala onde seria a oficina de crônicas, compreendi quem era o assunto dos funcionários debochados.

Cumprimentei o professor e fiz um comentário banal sobre o tempo, afinal, essa é a maneira curitibana de se começar um diálogo. O clima é o quebra-gelos preferido das pessoas em Curitiba. Se está frio, a gente reclama. Se esquenta, reclamamos mais ainda – curitibano não está acostumado com tanto calor!

Dizer que Curitiba tem as quatro estações no mesmo dia, apesar de clichê, não é exagero. Por mais quente que esteja, a gente não sai de casa sem levar uma blusa!

 

 https://docs.wixstatic.com/ugd/8181f9_52e3a463d47b45d0a2a9b4db86353210.pdf

 


Deixe seu comentário


Pesquisa do Blog

Cristina Bresser

Consultoria em Carreira e Desenvolvimento Humano.